Como desenvolver um banco de talentos?

Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no skype
Skype
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no email
Email

Uma tarefa árdua para o RH é conseguir montar um time cheio de talento, com aqueles profissionais que dão match com empresa. Esse é um verdadeiro desafio, porque qualquer profissional que não seja adequado para a vaga, pode custar muito caro para a companhia, afinal, demissão e admissão são processos burocráticos e que exigem capital. 

Muitas empresas usam o banco de talentos para realizar melhores contratações. E não estamos falando daquela frase comum utilizada por muitos recrutadores: infelizmente, optamos por outro perfil, mas não se preocupe seu currículo está cadastrado em nosso banco de talentos

Claro, pode ser que realmente muitas empresas façam isso e quando surge uma vaga adequada para esse profissional, o recrutador entra em contato. Mas, o banco de talentos é muitas vezes utilizado como uma “desculpa” para dar o feedback negativo para muitos candidatos. 

O que é um banco de talentos?

Podemos definir o banco de talentos como uma ferramenta para gerenciamento de candidatos. Nele há informações sobre os profissionais que querem fazer parte da empresa. 

Pessoas que se interessam podem se candidatar para futuras vagas por meio dele, se a companhia tiver esse canal ou os próprios recrutadores podem inserir os dados dos profissionais que não passaram nos processos seletivos, mas em algum outro momento podem ser convocados, caso haja outra oportunidade pra a mesma vaga ou uma semelhante. 

Neste último caso, é uma maneira do RH acelerar o processo recrutamento e seleção, uma vez que, ele já conhece o talento. No caso daqueles que se inscrevem por vontade própria, os recrutadores podem fazer uma busca nesse sistema antes de divulgar as vagas por outro meio.

Como desenvolver um bom banco de talentos?

Para desenvolver um banco de talentos eficaz e necessário que a empresa conte com sistema de gestão de RH, afinal, a tecnologia está à disposição para otimizar processos que antes eram muito demorados, inclusive, porque eram feitos manualmente. 

O cadastro virtual possibilita que todas as informações sejam armazenadas na nuvem, ou seja, sem chance de perder qualquer dado sobre os candidatos. 

O banco de talentos deve ter algumas informações que são fundamentais para conhecer os profissionais, como:

É muito importante que o RH defina uma validade para esses currículos, pois, durante determinado período, eles podem ficar desatualizados. E é uma maneira de não acumular informações que não serão utilizadas. E isso nos leva a um ponto muito importante: a manutenção do banco de talentos. 

Como é necessário manter uma atualização, o RH precisa, além de definir a periodicidade da manutenção, deve também incentivar que os candidatos atualizem seus cadastros, e, claro, a empresa deve possibilitar isso. 

Uma maneira de disso acontecer é integrando o banco de talentos com as redes sociais, pois são plataformas que comumente são atualizadas pelos usuários. Mas se a companhia possibilitar o acesso ao currículo por meio de login e senha, o próprio profissional pode fazer isso sempre que achar necessário. 

Diante disso é necessário que o RH observe essas atualizações, para reparar quem mantém o cadastro atualizado, pois, aqueles que não atualizam dificilmente serão chamados para futuras vagas. 

O banco de talentos é uma ferramenta muito importante para as empresas e quando bem utilizadas, já funcionam como uma espécie de filtro no recrutamento e seleção. 

Fique atento a este recurso, utilize softwares de gestão para fazer um bom gerenciamento de dados e contrate os melhores profissionais do mercado!

Lorem ipsum dr?

Vamos tomar um café e conversar mais, que tal?

LEIA TAMbém

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no facebook
Compartilhar no skype
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email