Entenda a Psicologia Positiva aplicada no RH

Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no skype
Skype
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no email
Email

A psicologia organizacional tem como objetivo entender o comportamento tanto dos indivíduos quanto dos grupos dentro do ambiente de trabalho.

Dentro desse campo pode ser trabalhado a Psicologia Positiva, um movimento dentro da ciência psicológica que tem intuito de estudar os elementos que podem trazer felicidade às pessoas.

Um estudo realizado pelo aplicativo Survey Monkey, mostra que nove a cada dez brasileiros estão infelizes no trabalho. Muitos fatores podem contribuir com esse dado alarmante: remuneração e benefícios, falta de desenvolvimento e aprendizado, falta de um plano de carreira ou cultura organizacional tóxica

Cabe as empresas buscarem maneiras de reverter esse quadro, afinal, profissionais infelizes tendem a procurar por oportunidades melhores e isso aumenta o índice de rotatividade da organização, impactando negativamente a marca empregadora, desgastando os processos, aumentando custos com novas contratações e gerando, possivelmente, danos à credibilidade da organização. 

Conceitos Psicologia Positiva

Dentro da Psicologia Positiva, a felicidade recebeu o nome de bem-estar subjetivo, uma vez que cada pessoa pode se sentir feliz por motivos diferentes.

Segundo Martin Seligman, psicólogo estadunidense considerado o pai da Psicologia Positiva, o bem-estar subjetivo é a ausência de depressão e presença de estados cognitivos e emoções positivas.

Para o estudioso, existem três caminhos que levam à felicidade:

Vida prazerosa: onde há alta concentração, frequência, intensidade e contemplação de emoções positivas. Momentos de orgulho, diversão, gratidão, etc.

Vida engajada: estado em que a pessoa fica completamente concentrada, envolvida a ponto de não sentir fome ou perder a noção do tempo durante a realização de uma tarefa.

Vida significativa: neste a pessoa busca pelo sentimento de pertencimento, de servir a algo maior.

No entanto, na continuidade dos estudos, a Psicologia Positiva passa a ter como foco bem-estar e não a felicidade em si. Para Seligman o novo objeto de pesquisa pode ser mensurado por meio de cinco fatores: emoção positiva, engajamento, sentido, relacionamentos positivos e realização.

Como a psicologia positiva pode ser uma aliada do RH  

Uma das principais preocupações das empresas é a satisfação dos colaboradores com relação ao trabalho, especialmente porque esse é um ponto relacionado a produtividade.

Um estudo feito pela Universidade da California mostra que um trabalhador feliz é em média 31% mais produtivo, vende 37% a mais em comparação aos outros e é três vezes mais criativo.

A Psicologia Positiva aplicada no trabalho pode contribuir com o crescimento dos colaboradores, com uma cultura organizacional saudável e melhor aproveitamento das habilidades dos profissionais.

Com a Psicologia Positiva os colaboradores serão capazes de:

  • Buscar autoconhecimento, uma vez que estarão em busca do bem-estar e para isso precisam entender o que lhe fazem bem;
  • Ter maior comprometimento com a saúde física e mental, pois estão relacionadas;
  • Ter maior engajamento, pois estão em um ambiente saudável que preza pelo bem-estar;
  • Influenciar e inspirar pessoas;
  • Se destacar no ambiente de trabalho, uma vez que conseguem potencializar as habilidades em prol de um objetivo.

Ficou interessando na Psicologia Positiva? Que tal adotar práticas que condizem com esse conceito na sua empresa?

Continue acompanhando o blog da Benefício Certo e fique por dentro das novidades e tendências do mercado!

Lorem ipsum dr?

Vamos tomar um café e conversar mais, que tal?

LEIA TAMbém

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no facebook
Compartilhar no skype
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email