O RH Estratégico por Natureza

Share on whatsapp
WhatsApp
Share on linkedin
LinkedIn
Share on facebook
Facebook
Share on skype
Skype
Share on twitter
Twitter
Share on email
Email

Em tempos de crise, pandemia e diante do caos competitivo instaurado no mercado, a ordem do dia para qualquer executivo da área de RH está em uma atuação mais ágil, ampla e estratégica. Neste sentido, diante dos cenários externos apresentados, a condução de times de alta performance, a busca pela racionalização de processos internos e principalmente as expressivas e necessárias reduções de custos, tornam-se metas a serem conduzidas por qualquer executivo de maneira bem próxima.

O correto mapeamento e a análise de fatores externos, bem como dos seus decorrentes impactos para o mercado, envolvendo clientes, a própria empresa e seus fornecedores, além das questões ligadas a concorrência para posterior planejamento de ações operacionais além da adaptação de fluxos de trabalho, cargos, fatores de remuneração e colaboradores, transformam definitivamente o papel do RH, fazendo com que ele se torne estratégico por natureza.

Soluções que potencializam a gestão de benefícios, podem auxiliar executivos de RH no atingimento de resultados positivos, compondo o rol de ferramentas necessárias para se encarar os árduos momentos vividos atualmente. O tempo do RH meramente operacional passou e hoje, diante da absoluta necessidade da entrega de resultados a curto prazo, frente a cenários externos voláteis, incertos com fatores mercadológicos complexos e não controlados, se faz necessário a utilização de metodologias ágeis para a manutenção da competitividade.

A concessão de benefícios aos colaboradores apresenta inúmeras vantagens para as corporações, dentre elas o aumento da satisfação, motivação e bem-estar, além da maximização da imagem, produtividade e qualidade. Todavia, em linhas gerais, se configura como um dos principais custos de qualquer empresa. Neste sentido, a busca de uma relação de dispêndios que possa se equilibrar com os resultados decorrentes esperados, deve ser feita de maneira estruturada e constante.

O Vale-Transporte é uma conquista dos trabalhadores e um dos principais benefícios regidos por lei federal específica. Cabe ao RH, estar atento as solicitações de Vale-Transporte dos colaboradores, uma vez que consideráveis reduções mensais contínuas podem ser obtidas. A análise criteriosa as solicitações frente as necessidades e a aplicação da lei, bem como a roteirização de itinerários, além da gestão de saldos de créditos eletrônicos de passagens não utilizadas, podem garantir resultados positivos para orçamentos empresariais.

A Benefício Certo, atenta às movimentações e ao cenário do mercado de benefícios, vislumbrou uma oportunidade de atuação diferenciada, desenvolvendo soluções de prevenção e controle que atuam diretamente na redução de custos e podem ser adaptadas a qualquer sistema de RH. 

As soluções são geradas a partir da coleta e tratamento de dados, através de algoritmos de geoprocessamento e inteligência, sendo aplicadas no monitoramento do tráfego de informações e das recargas de créditos nos cartões, criando assim, barreiras às eventuais más utilizações, bem como otimizações a partir de saldos remanescentes. Através desses recursos, os trajetos tornam-se mais eficientes e econômicos. Já o RH proporciona segurança e a correta utilização do Vale-Transporte dos colaboradores, gerando economia potencial de até 30% todos os meses. 

Pequenos ajustes, quando implantados, podem trazer enormes vantagens, uma vez que garantem às empresas ganhos financeiros e ainda livram-nas da estressante tarefa de gerenciar cada movimento de seus colaboradores. A estratégia da maximização da produtividade frente as necessidades do mercado é o melhor caminho a ser seguido para a manutenção da competitividade e entrega de Valor aos clientes, e pensando nisso, o RH assume um papel primordial no dinâmico mundo corporativo contemporâneo.

Celso Campello Neto é professor universitário e CEO da Benefício Certo

Lorem ipsum dr?

Vamos tomar um café e conversar mais, que tal?

LEIA TAMbém

Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on facebook
Share on skype
Share on twitter
Share on email