PDI: saiba como fazer um plano de desenvolvimento pessoal

WhatsApp
LinkedIn
Facebook
Skype
Twitter
Email

O desenvolvimento de um colaborador muitas vezes não ocorre apenas por meio das atividades diárias de rotina. Para assegurar o crescimento dos funcionários, é crucial criar um planejamento detalhado e personalizado. O Plano de Desenvolvimento Individual (PDI) é uma ferramenta estratégica destinada a potencializar as habilidades dos profissionais.

Ele delineia um caminho para que cada indivíduo progrida e aprimore habilidades que ainda não possui ou necessita melhorar. Portanto, torna-se uma ferramenta crucial ao revisar cargos, salários e realizar promoções.

Entretanto, é fundamental evitar a inclusão de metas impossíveis e sem uma maneira mensurável no plano. A incorporação de objetivos inatingíveis pode resultar em frustração para todos os envolvidos.

No entanto, para que seja verdadeiramente eficaz, é essencial compreender como elaborar um planejamento da maneira adequada. É sobre isso que falaremos no artigo de hoje, acompanhe!

O que é PDI?

O Plano de Desenvolvimento Individual (PDI) é um guia detalhado que delineia ações concretas para o progresso pessoal, alinhadas aos objetivos definidos para o desenvolvimento de uma pessoa.

É crucial ressaltar que ele desempenha um papel significativo não apenas no crescimento individual do colaborador, mas também na obtenção de resultados aprimorados para a empresa. Cada funcionário colabora na elaboração do seu PDI em conjunto com os líderes diretos, os quais, por sua vez, recebem metas e diretrizes de seus gestores ou gerentes. Esse processo é essencial para impulsionar o avanço da organização.

Outro aspecto relevante é que ele deve ser composto por tarefas práticas, integradas ao cotidiano. Para uma efetiva mensuração, requer prazos definidos para início e conclusão, bem como ações tangíveis e específicas, evitando abstrações. 

Passo a passo para elaboração 

Você já percebeu como o PDI pode impactar positivamente uma empresa, certo? Agora, vamos seguir um guia prático para implementá-lo com cada membro da equipe.

1 – Realize uma análise pessoal

Antes de criar um PDI, é essencial realizar análises pessoais e fornecer feedbacks contínuos. A liderança direta deve ser clara sobre as expectativas em relação ao colaborador, garantindo que o PDI esteja alinhado com seu perfil e possibilidades.

2 – Estabeleça recursos

A organização pode destinar recursos, como verbas e tempo, para apoiar a implementação do planejamento, permitindo que cada funcionário alcance seus objetivos de desenvolvimento.

3 – Defina um objetivo específico

O objetivo deve ser focado e concreto, evitando abstrações. Por exemplo, em vez de “aumentar o crescimento da empresa”, um membro da equipe de vendas pode ter como objetivo “desenvolver soft skills, como inteligência emocional, comunicação e empatia, para superar objeções de clientes potenciais”.

4 – Identifique as competências necessárias

Liste as competências essenciais para atingir os objetivos do PDI. No caso do vendedor fictício que precisa aprimorar soft skills, isso pode incluir leitura de livros sobre o assunto, participação em cursos de inteligência emocional, treinamento com profissionais de RH e análise dos resultados, entre outras atividades.

5 – Estabeleça um cronograma

Defina prazos para cada etapa, considerando que esses planos costumam ter uma duração de 1 ano ou 6 meses. Um cronograma claro ajuda a priorizar as tarefas e a acompanhar o progresso.

6 – Realize análises periódicas

Promova check-ins mensais entre a liderança e o colaborador para avaliar o progresso. Reuniões regulares, especialmente as individuais (1:1), podem ser agendadas com antecedência para esse fim.

7 – Conclua o PDI

Ao final do período, é recomendável elaborar um relatório, destacando os ganhos e os pontos importantes aprendidos e aplicados. Esse relatório pode até se tornar um workshop para compartilhar conhecimentos e estimular a troca de experiências entre os colaboradores.

Por que investir nesse planejamento? 

O PDI é crucial para manter os funcionários focados em seu crescimento, promovendo engajamento e motivação. Além de beneficiar individualmente, é essencial para a organização, proporcionando inovação e diferenciação no mercado. 

As vantagens incluem o engajamento dos profissionais, desenvolvimento coletivo e individual, retenção de talentos, e alinhamento de expectativas por meio do diálogo. É uma estratégia de ganha-ganha, impulsionando o desenvolvimento e a eficácia organizacional.

Para manter os colaboradores ainda mais engajados e motivados durante o processo, pode-se optar por conciliar o planejamento com bônus e recompensas. Por exemplo, com o cartão pré-pago da Benefício Certo, a empresa reconhece a dedicação de cada um.

A companhia estipula previamente um valor creditado no cartão e pode utilizar essa modalidade em campanhas de incentivo, premiações, ações e/ou reconhecimento de talentos. Além disso, não exige conta em banco, reduz gastos com tarifa e facilita a prestação de contas. Tem interesse em saber mais? Entre em contato conosco. 

Lorem ipsum dr?

Vamos tomar um café e conversar mais, que tal?

LEIA TAMbém